Pensamentos

O vento trouxe, o vento leva…

O amor vem, o amor vai, outro vem e de novo se vai…

O jogo começa, o jogo termina e começa tudo de novo.

Muitas vezes você cai, outras mil você se levanta.

Às vezes você quer muito, depois não quer mais, depois quer de novo, até não querer mais.

Há tristezas, há alegrias e há esperanças que não devem morrer.

Sonhos nascem, sonhos morrem, outros começam.

O ser humano é mutável, renasce todos os dias até morrer de verdade.

Um dia você é sábio, no outro dia um aprendiz.

Gastamos mil horas para conquistar algo e um segundo para perder.

Que confusão!  Difícil é não se perder nesse caos.

Pois, a vida é assim mesmo, esquenta, esfria, gela e ferve de novo.

Certo é alimentar seu coração daquilo que te faz bem, te traz paz, conforto, energia, vontade, algumas certezas e alegrias.

Errado é não ouvir seu íntimo, seu coração, suas emoções, sua verdade.

A vida está aí para ser vivida com raça, sem medo, sem pudor, sem meio termo.

O que é excepcional para uns para o outro é tão raso.

Certeza temos apenas de que um dia a vida se vai e não se sabe ao certo o que levamos daqui.

Então cuidemos do que deixaremos por aqui, porque o resto é incerto e oco.

Nem todos os dias serão plenos, façamos a nossa parte de sermos plenos com nós mesmos por todo o sempre que nos pertencer.

Retiremos o pó das entranhas, sejamos luz ao invés de trevas, sem nunca abdicar daquilo que nos faz feliz.

Tenhamos a pureza dos bebês, a energia dos jovens e a sabedoria dos mais velhos.

Usemos de todo o nosso amor, o próprio e ao próximo, sem medidas ou contenção.

Lembremos que nosso interior exagera em nosso exterior, é totalmente visível.

Sejamos únicos em meio a tantos semelhantes.

Sejamos inteiros em meio a tantas metades.

E, acima de tudo, sejamos humanos com nós mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.