Como bancar uma viagem de 4 meses pela Austrália

Para quem está me acompanhando nas mídias sociais, sabe que estou fazendo uma viagem de 4 meses por toda a Austrália. Cheguei há pouco tempo, mas já estou adorando. É difícil não gostar de praia e sol quase todos os dias 🙂

Muita gente tem me perguntado como estou fazendo para bancar essa viagem. E a resposta não é ter pais ricos, mas sim economizar muito e se organizar bastante para fazer o dinheiro durar. Escrevi esse texto para ajudar aqueles que também estão querendo viajar para esse país.

Vida de Mochileira
Vida de Mochileira

1. Economizar

Antes de qualquer coisa, é preciso economizar. Enquanto estiver no seu país e trabalhando é mais fácil fazer um esforço e economizar um dinheiro para levar com você na viagem.

Escrevi um post de como economizar dinheiro para viajar, que explica como eu faço para juntar dinheiro para viajar várias vezes no ano.

Como estarei trabalhando na Austrália, trouxe dinheiro suficiente para no mínimo um mês no país. Trouxe 2 mil dólares australianos e um cartão de crédito internacional em caso de emergência.

2. Tirar o visto de trabalho e viagem

Para poder trabalhar na Austrália, tirei o “Work Holiday Visa”, que é um visto onde poderei trabalhar para bancar minha viagem.

Por mais que seja um visto muito bom para conhecer a Austrália e poder trabalhar para viajar por aqui, esse visto tem alguns requerimentos

  • O visto é chamado Work Holiday Visa (subclass 417)
  • É válido por 12 meses
  • Você tem que ter entre 18 e 30 anos
  • Não poderá ter nenhum dependente te acompanhando na viagem
  • Não poderá trabalhar mais que 6 meses em uma empresa só
  • Poderá estudar por até 4 meses
  • O visto pode ser renovado por mais 12 meses, se 3 meses de trabalho na agricultura ou construção por completado (tipo trabalhar em colher frutas em uma fazenda)
  • Ter passaporte de um país elegível. Para a lista de países visite o website da imigração australiana
  • Pagar uma taxa de 440 dólares australianos

O processo é feito online pelo site border.gov.au e foi super fácil e rápido. Recebi a confirmação do visto em 30 minutos e o visto é virtual e conectado ao passaporte. Quando cheguei à Austrália, foi super simples na imigração, só escanearam meu passaporte e pronto.

Sydney Opera House
Sydney Opera House

Infelizmente passaportes brasileiros não são aceitos para esse visto. Existe um outro visto chamado Work and Holiday Visa (subclass 462) que inclui alguns países da América do Sul como Uruguai, Argentina e Chile e também Espanha e Portugal. Para tirar esse visto você precisará de mais documentos, como proficiência em inglês. Para mais informações clique aqui.

3. Acomodação

Antes de mudar para qualquer país, tenha acomodação reservada em algum albergue, airbnb, couchsurfing ou casa de amigos por pelo menos uma ou duas semanas. Assim terá tempo suficiente de achar uma acomodação mais permanente e também de se adaptar um pouco no país.

Existem muitos websites onde pessoas anunciam quartos disponíveis em várias cidades na Austrália. Algum deles são Gumtree, Flatmates, EasyRoomate, Sharehouses e Flatshare. Preços variam entre 130 a 230 dólares australianos por semana por um quarto, mas isso depende muito da cidade onde irá morar. Sydney e Melbourne são as cidades mais caras, mas também com salários mais altos.

Sydney Harbour Bridge
Sydney Harbour Bridge

Como irei ficar somente 4 meses no país e não irei ficar mais do que duas semanas no mesmo lugar (somente em Melbourne que ficarei um mês), não irei alugar quartos, mas sim ficar hospedada em casa de amigos, couchsurfing, albergues e airbnbs. Estou tentando economizar o máximo em acomodação, pois assim poderei gastar esse dinheiro para viajar mais 🙂

Leia também  Como viajar pela Austrália com 30 dólares por dia

4. Arranjar um emprego

Essa é a parte que dá frio na barriga em qualquer um. “E se eu não achar nenhum emprego”, “e se o dinheiro acabar e não tiver encontrado nenhum trabalho”. Muitos “e se”. Claro que dá aquele medo, mas se não arriscarmos, nunca iremos saber se irá dar certo.

Trabalhos casuais aqui na Austrália não são tão difíceis assim de encontrar. Claro que irá necessitar muita determinação e força de vontade, mas existem muitos trabalhos disponíveis em bares, restaurantes e cafés.

O primeiro passo é preparar o currículo. Prepare um currículo bem estruturado, sem erros de inglês e que mostre que você será uma grande adição para a empresa. Separei alguns exemplos de currículo para ajudar a ter uma base, para garçon/garçonete, bartender e barista (clique no link para abrir o pdf).

Para servir bebidas alcoólicas na Austrália é necessário ter um certificado chamado RSA. Para todos os estados, exceto Victoria, você poderá fazer o curso online. Alguns websites que oferecem esse curso são: Hospitality Institute of Australasia, RSA Online e RSA Online Now. Esse certificado é necessário para trabalhar em bares e restaurantes, sem ele você não será empregado.

Trabalhos na área de hospitalidade não são tão difíceis de encontrar, pois há uma rotatividade alta de empregados e geralmente lugares como restaurantes, bares e cafés estão sempre procurando novas pessoas para fazer parte do time. Muitos lugares anunciam novos empregos no próprio website da empresa ou em sites de anúncio como o Gumtree e Seek. Além de mandar o seu currículo para empregos nesse websites, também recomendo ir diretamente a alguns lugares onde gostaria de trabalhar e entregar seu currículo pessoalmente.

Provavelmente ouvirá muito “não temos vagas agora”, “deixe o seu currículo e entraremos em contato quando uma vaga aparecer” ou “o gerente não está agora, volte mais tarde”. Será frustrante a procura, mas não desista, encontrará um emprego mais cedo do que espera. Quando finalmente for entrevistado, muitos lugares te chamam para fazer um “trial” (um dia experimental). Se gostarem de você então te contratarão.

Cidade de Geelong
Cidade de Geelong

Cidades mais populosas como Sydney, Melbourne e Brisbane têm uma maior demanda por empregados, especialmente na área de hospitalidade, pois são cidades mais turísticas. Nessas cidades provavelmente serão mais fáceis de encontrar emprego.

Para quem irá viajar para lugares mais remotos como eu, uma boa opção é trabalhar em fazendas. Alguns dos trabalhos são pagos e outros voluntários. Em trabalhos voluntários, irá trabalhar somente entre 4 e 6 horas por dia em troca de refeições e acomodação. Só em acomodação e refeição já dá para economizar no mínimo 50 dólares australianos por dia. Ainda conhece um pouco do interior australiano, além de fazer amizade com outros mochileiros como você que estarão trabalhando na mesma fazenda.

Alguns sites que oferecem trabalhos em fazendas e para mochileiros são: Backpacker Job Abroad, Job Search (website oficial do governo), Travellers at Work, Fruit Picking Jobs e WWOOF (fazendas orgânicas).

Espero que esse post tenha ajudado e esclarecido algumas dúvidas. Vou continuar postando mais sobre minha experiência na Austrália e dicas para quem quiser viajar para cá. Se tiver alguma dúvida ou sugestão deixe seu comentário abaixo. 

 

5 comentários em “Como bancar uma viagem de 4 meses pela Austrália

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *