Acampei no jardim de um bar na Austrália

Muitas pessoas que viajam pela Austrália visitam somente a costa leste e esquecem do interior do país. Não é preciso viajar muito longe da costa para viver uma experiência no deserto australiano. A somente duas horas e meia de Cairns está a pequena cidade de Chillagoe. Está com certeza foi a cidade mais legal do interior que conheci até agora. Além de um povo muito gente boa, também há por volta de mil cavernas e uma pedra gigante equilibrada somente pela ponta.

Pôr do sol em Chillagoe
Pôr do sol em Chillagoe

Como dirigi de Cairns até Darwin e havia ouvido falar das cavernas desse lugar, resolvi desviar do caminho um pouco e visitar essa cidade. A intenção era chegar na cidade por volta do meio dia, visitar as cavernas e a pedra “Balancing Rock” e ir embora, mas ainda bem que o plano deu errado. No fim das contas demorou mais do que o previsto para organizar tudo no carro para três dias de viagem pelo Outback australiano e cheguei em Chillagoe no fim da tarde. Tive então que acampar na cidade para poder visitar as cavernas no dia seguinte.

Existem dois lugares para acampar na cidade, um pago e outro de graça. Adivinha qual que escolhi? Claro que o de graça. O acampamento de graça não é bem um lugar para acampar, mas sim um jardim do bar “Chillagoe Hotel” (hotel significa bar na Austrália). Perguntei para a dona do bar se poderia acampar por uma noite no jardim atrás do bar e ela disse que sim. Comprei um vinho no bar (que é bem barato) para ajudar o local e agradecer a generosidade.

Conheci pessoas maravilhosas no local. A Lih trabalha no bar, ela tem somente 21 anos e já é casada com três filhos e ela é super divertida. Para a minha surpresa havia também uma mochileira trabalhando no bar há um mês. A Katie é da Inglaterra e gostou tanto da cidade que acabou ficando. Recomendo visitar o Chillagoe Hotel mesmo que não estiver acampando. Todas as sextas-feiras um churrasco é servido por somente 10 dólares por pessoa. Eles também tem quartos de hotel para alugar ao lado da propriedade.

Balancing Rock

Balancing rock
Balancing rock

Essa pedra é bem peculiar, pois está equilibrada na ponta de outra pedra. Por causa de muitos raios que atingiram a pedra, essa soldou no topo da outra pedra e é por isso que não cai. Interessante né?

O local da pedra fica a 1 Km da cidade por uma rua de terra e do estacionamento são somente 220 metros até a pedra. Cheguei ao local por volta das cinco da tarde e deu para ver o começo do pôr do sol de lá.

Se estiver afim, do estacionamento há uma trilha de 9 Km até a Royal Arch ou alguns metros até Wullumba Centro de Artes Aborígines

Cavernas

Dentro da Caverna Pompeii
Dentro da Caverna Pompeii

Há entre 600 e 1000 cavernas na região, mas a maioria não é acessível ao público e algumas pertencem a tribo aborígines.

Há a opção de fazer um tour guiado pelo guarda florestal por três cavernas, Donna, Trezkinn e Royal Arch. O tour custa 40 dólares para duas cavernas (25 dólares para uma e 50 três cavernas) e pode ser comprado no centro de informação da rua principal da cidade. Há vários degraus para subir e descer nas cavernas, mas não é muito difícil pois há passarelas passando pela caverna toda.

Leia também  50 anos e viajando sozinha

Eu visitei duas outras cavernas que são abertas para o público, a Pompeii e a Bauhinia. A trilha nessas cavernas são de nível difícil e requerem muita escalada sem equipamento pelas pedras, mas é tranquilo para quem tem um nível físico bom. Também é necessário levar laternas para as duas cavernas, principalmente a Bauhinia.

Escalando dentro da caverna Pompeii
Escalando dentro da caverna Pompeii

A caverna Pompeii é a última, mas recomendo começar por essa por ser um pouco mais fácil que a Bauhinia. Entrando nessa caverna terá que descer pelas pedras vários metros para chegar no fundo. Fique atento, pois poderá ver cobras, morcegos, aranhas, lagartos e até “rock wallabies” (cangurus pequenas). Vi muitas aranhas, lagartos e morcegos, uma pele de cobra e um wallaby nas pedras. No fundo da caverna há uma caverna menor onde há várias estalactites e formaçoes rochosas, mas somente precisará da laterna para essa parte. Essa é uma ótima caverna para tirar fotos, pois a outra é completamente escura.

Entrada da caverna Bauhinia
Entrada da caverna Bauhinia

Logo depois fui explorar a caverna Bauhinia. Essa é mais difícil para entrar do que a outra e bem escura. Dentro da caverna há vários túneis para explorar, muitas aranhas bem grandes e vários morcegos. Essa com certeza foi a caverna mais legal, mas também a mais arrepiante.

Há também uma outra caverna há 15 Km da cidade chamada Archways. Essa caverna é mais aberta e de nível fácil. Ótimo para quem não está querendo se aventurar tanto ou está com crianças.

Lago

lago de ChillagoeDepois de visitar as cavernas a melhor coisa é tomar um banho de água doce nesse lago da cidade. Esse rio fica á mais ou menos 1 km da cidade e a água é azul e com vários peixes. O lugar é conhecido por todos da região e também está marcado no aplicativo Wikicamps, não tem como se perder.

Uma curiosidade dessa cidade:

Todo ano eles organizam uma corrida de carrinho de mão (The Great Wheelbarrow Race) para relembrar as primeiras pessoas a chegarem na cidade que trouxeram tudo o que tinham em carrinhos de mão por muitos quilômetros. A corrida vai da cidade de Mareeba até Chillagoe, o que são 140 Km. A corrida acontece em três dias e cada time reveza para correr com o carrinho de mão. Um ônibus de suporte com as pessoas do time e o juíz segue a pessoa correndo por todo o percurso.

Há um senhor que faz essa corrida sozinho quase todos os anos. Esse é guerreiro, pois o sol da região é bem forte e quente e o percurso é bem longo.

Por mais que essa cidade tenha somente 227 habitantes, há bastante lugares para visitar e com certeza vale a pena dar uma passada por lá por pelo menos dois dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *