3 dias pelo Outback australiano

Já estou viajando pela Austrália por mais de 2 meses e muitos quilômetros já foram percorridos. Com certeza estou viajando em um dos menores carros possíveis, mas também acho que eu e minha amiga Ella somos as primeiras a dar a volta na Austrália em uma Suzuki Alto.

Por mais que o carro seja pequeno, foi possível colocar todos as malas e equipamentos para acampar e no começo da viagem, em Blue Mountains, ainda demos carona para um mochileiro na estrada. O carro também é super econômico e estamos gastando bem pouco com gasolina. O único ponto negativo é que saindo da costa leste várias estradas na Austrália são somente possíveis dirigir com um carro 4×4 e por mais que essa suzuki tenha aguentado muitas estrada de terra, não é uma 4×4.

acampandoPegando estrada

Depois de quase um mês e meio entre Melbourne e Cairns, estava na hora de dizer adeus a cidades grandes e partir para Darwin através do Outback. Antes de partir resolvi fazer um desvio em Chillagoe para visitar as cavernas e de lá pegar a estrada Savannah Way em direção ao centro da Austrália.

Chillagoe fica a somente 3 horas de Cairns, mas no caminho já deu para perceber que o ambiente havia mudado, o ambiente havia ficado bem mais seco, não haviam muitos carros na estrada e muito mais animais selvagens. O nosso primeiro encontro foi com vacas no meio da estrada e essas são encontradas por todo o centro da Austrália e na costa oeste. Por causa da vasta criação de gado, algumas vacas fogem da fazenda e acabam se perdendo e virando animais selvagens.

Para cortar caminho, resolvemos pegar uma estrada de terra por 100 km para chegar na Savannah Way que vai em direção ao centro da Austrália. No caminho passamos por pontes alagadas, animais no meio da estrada e alguns caminhões trens. Esses caminhões percorrem todas as estradas que cortam a Austrália pelo centro. A maioria deles tem 53 metros de comprimento, mas alguns são ainda maiores. Por mais que o tráfego nas estradas que vão para Darwin sejam bem pouco, ainda sim é perigoso ultrapassar um desses caminhões.

road trainDepois de entrar na Savannah Way achei que as condições da pista iriam melhorar, pois essa estrada é pavimentada. Não melhorou muito. A pista é duas mãos com uma faixa em cada direção, mas em vários pontos há somente uma pista. Quando outro carro está vindo na direção contrária, os dois carros dividem a pista e passam metade do carro na parte pavimentada e metade na parte de terra. Quando um caminhão está vindo na direção contrária, as coisas ficam tensas. Os caminhões não dão passagem nenhuma. O carro tem que sair completamente da pista e dar passagem para o caminhão. Só não sei o que acontece quando dois caminhões trens passam por uma pista única.

Assim que entra na National Highway, a pista dá uma melhorada e o trajeto é todo pavimentado nas duas direções. A única coisa que muda é que assim que entra no estado Northern Territory o limite de velocidade muda de 110 Km/h para 130 Km/h.

northern territory

Animais selvagens

Na Austrália há animais selvagens por todo lado, não importa se for na cidade ou no interior, mas dirigir no meio desses animais é um desafio.

Achei que o maior perigo seriam cangurus e vacas no meio da estrada. Vi muitas vacas no meio da estrada, mas elas são lentas e é fácil de ver elas durante o dia. Cangurus são imprevisíveis, mas geralmente são mais ativos á noite. Vi muitos mortos na estrada, mas poucos vivos. O maior problema foram as aves.

Muitas aves se alimentam durante o dia dos animais que foram mortos por caminhões durante a noite. A maioria são águias e corvos que param no meio da rua para comer. E se você não diminuir bem a velocidade do carro, irá passar por cima deles. O que mais me surpreendeu foi ás águias “aquila audax” de mais ou menos um metro de altura. A primeira vez que eu vi achei que era um canguru pequeno.

Leia também  Trabalhando em um santuário para Cangurus

Ainda sim é possível enxergar durante o dia as aves no meio da estrada. O que assusta mais são os pequenos pássaros que voam em direção ao carro em bandos. Muitos deles acabam batendo no vidro do carro e morrendo, mas é sempre bom ficar atento.

Um animal que não esperava ver na estrada foi um porco selvagem e camelos. Esses animais não são originários da Austrália, mas foram trazidos por colonizadores, se adaptaram bem ao ambiente e acabaram se alastrando por toda a região. Já não basta vacas no meio da estrada, agora camelo já é demais ;P

Sol nascendo no Outback
Sol nascendo no Outback

Dicas

Essas dicas nos ajudaram muito e tenho certeza que irá ajudar aqueles que planejam fazer uma viagem desse tipo.

  • Leve uma reserve alta de água

Para duas pessoas levamos 10 litros e enchíamos o galão todos os dias. A água na Austrália que sai da torneira é tratada e boa para beber. Na maioria dos parque e postos de gasolina há uma torneira onde poderá encher o seu galão. No aplicativo WikiCamps há marcado lugares onde há água potável no caminho.

  • Encha o tanque de gasolina sempre que possível

Postos de gasolina no centro da Austrália são poucos e o preço do combustível é mais caro. Planeje bem suas paradas, pois em algumas regiões (principalmente entre Mount Isa e Three ways) alguns postos de gasolina são a cada 300 Km. Há placas na estrada indicando a distância entre postos de gasolina, mas sempre que possível enchia o tanque novamente quando estava pela metade. Nunca deixe chegar perto da reserva, pois parar no meio do deserto por falta de gasolina não é uma boa.

  • Leve um mapa

Não confie somente no mapa do celular. Na maior parte da viagem não tinha sinal de celular e por mais que Google Maps funcione offline, ainda sim me deixou na mão. No centro de informações na maioria das cidades há mapas de graça com informações de condições das estradas e postos de gasolina. Os mapas são divididos por estados e só estão disponíveis no mesmo estado ou próximos a divisa. Peguei um em Queensland, do norte do estado e em Mount Isa peguei um do Northern Territory antes de cruzar a borda.

  • Não dirija a noite

Animais selvagens são mais ativos a noite e muitos caminhões trens circulam nesse período. Não vale a pena arriscar. Sempre acordávamos quando o sol nascia e parávamos para acampar antes do sol se pôr. Geralmente dirigíamos 10 horas por dia, sendo que trocávamos o motorista a cada 2 horas e meia, o que não achei tão cansativo. Também parávamos por uma hora para almoçar antes de continuar viagem.

  • Acampamento

Existem vários locais na beira da estrada para acampar. Alguns tem banheiros, mesas e lixos e outros são somente uma área para descanso. Todas as áreas são bem sinalizadas e são boas para passar somente a noite. Em todos as áreas de descanso haviam vários outros viajantes, por mais que na estrada ás vezes ficava quase uma hora sem ver ninguém.

Céu estrelado no Outback
Céu estrelado no Outback
  • Música

Tenha muitas músicas de diversos gêneros para tocar durante a viagem. Por mais que tínhamos bastante músicas no celular, no fim da viagem não aguentávamos mais aquelas músicas. São mais de 30 horas de viagem, sua playlist tem que ter no mínimo 10 horas para não enjoar.

Por mais que seja uma viagem longa, ainda sim foi divertido e muito mais está por vir, pois o deserto ainda continua pelo oeste da Austrália 🙂

Confira o vídeo abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *